Yamaha Ténéré 700: ela está de volta

Por: Willian Teixeira 7 Minutos de leitura

Desde que foi mostrada no salão de Milão em 2018, a Yamaha Ténéré 700 estava em nossa mira para ser testada. Finalmente pudemos andar em seu lançamento na Espanha.

A nova Yamaha Ténéré 700 mais do que respondeu à grande expectativa que gerou nos últimos meses e deixou claro que a marca dos diapasões fez um ótimo trabalho. Empurrado pelo musculoso bicilíndrico da saga MT-07, tem uma estética muito autêntica que lembra as motos de rali. E seu preço justo para o que oferece é outra das suas grandes atrações. O cenário escolhido foi perfeito; durante dois dias completei quase 500 km no comando da nova off-road de média cilindrada da Yamaha, dos quais mais da metade no fora de estrada, mas todo o itinerário foi variado e se adaptou perfeitamente às características da moto.

Além de bonita e do cuidado nos detalhes, a Ténéré surpreende pelo bom comportamento tanto em estrada como no campo. Ela é uma “trilheira”, recupera esse espírito de eras passadas, porém adaptada aos tempos modernos, com a eletrônica limitada ao ABS (obrigatório) que pode ser desligado.

A saga Ténéré começou em 1983 quando a Yamaha montou uma réplica da moto que competiu no Paris-Dakar. O nome foi escolhido por se tratar de um dos maiores desertos do mundo por onde o rali passava. Na configuração inicial foi monocilíndrica, passou a ter motor de dois cilindros paralelos (na XTZ750 Super Ténéré) e mais recentemente voltou ao monocilindro de 660 cc, até ser descontinuado. O nome também foi incorporado pela irmã maior XT1200Z Super Ténéré; são 35 anos de chancela que podem se multiplicar com este lançamento. 

Como ela é

Embora elementos como o motor e outros componentes sejam “fabricados no Japão”, a nova Ténéré 700 é produzida na planta da marca em San Quintín, França. Os cilindros paralelos de 687 cc são os mesmos da MT-07, mas, com modificações nos sistemas de injeção e refrigeração, a caixa de ar é totalmente nova. O sistema de escape também é próprio e a relação final tem pinhão com um dente a menos (15). A fábrica declara 74 cv a 9.000 rpm e 6,9 kgf.m a 6.500 rpm; quase não há diferença com a MT-07. Com isso, ela é capaz de atingir 185 km/h. O chassi de berço duplo em aço também é diferente na Ténéré 700; os engenheiros procuraram a leveza, é compacto, estreito, robusto e, segundo a fábrica, oferece flexibilidade homogênea, pesando apenas 17,8 kg. O subchassi é soldado e está pronto para receber garupa e bagagem. A balança traseira é feia em alumínio reforçado. As suspensões são KYB, as bengalas invertidas têm barras de 43 mm e 210 mm de curso, tem os dois ajustes hidráulicos e inclui uma válvula para purgar o ar. O amortecedor de 200 mm de curso tem sistema progressivo e ajuste nas três vias, com um manípulo para regular a pré-carga da mola.

Os freios têm componentes Brembo: dois discos de 282 mm e pinças de dois pistões paralelos na dianteira. As rodas raiadas montam pneus com câmera nas medidas 90/90-21” e 150/70-18”, apropriados para encarar o fora de estrada mais intenso. Outros aspectos dignos de menção são o grande painel digital, estilo roadbook, o para-brisa e seus defletores laterais e o bloco óptico com quatro grandes LEDs. O tanque com capacidade para 16 litros pode render 300 km de autonomia com tocada de alto grau de adrenalina. Interessantes são os quatro ganchos para fixar bagagem na área do assento de passageiro, o protetor do cárter de alumínio e os estribos com borrachas facilmente removíveis. Outro detalhe digno de nota é a possibilidade de variar ligeiramente a altura do para-lama dianteiro para evitar problemas com a lama.

Acessível e agradável

Ao se aproximar dela, a altura impressiona, mas quando passamos a perna sobre ela e nos sentamos percebe-se que o conjunto estreito possibilita encostar as duas solas no chão se você medir cerca de 1,80 m. O motor dificilmente transmite vibrações e o som rouco que emana da ponteira de escape é lindo e empolgante. O funcionamento do câmbio de seis velocidades é outro ponto forte; a embreagem suave não me deixou sentir fadiga no antebraço.

O motor CP2 da Yamaha com defasagem de 270° é um propulsor exemplar, responde limpo em baixas rotações e empurra forte em giros médios, mas também é confortável quando estica até a faixa de corte perto das 10.500 rpm. O motor se adapta muito bem às características e aspirações da nova Ténéré 700.

Ténéré 700 para tudo

A ergonomia foi muito bem projetada tanto para rodar confortavelmente sentado por muitos quilômetros quanto para jornadas mais intensas em trilhas. Em movimento e com a ajuda do motor, outra virtude é a facilidade de manter o equilíbrio a baixa velocidade com os pés nas pedaleiras. O guidão largo e o espaço no banco nos deixa à vontade para pilotar sentado ou de pé. A boa proteção aerodinâmica protege cabeça, corpo, joelhos e mãos com eficiência, independentemente do ritmo da tocada.

Fácil conclusão

A Ténéré 700 deixou claro para mim que a espera valeu a pena. Além de ter alcançado elevado aspecto estético, tem conjunto completo e equilibrado. O motor tem pouca vibração mesmo em exigência máxima e responde limpo, sempre cheio em médias rotações. É muito confortável, com boa proteção aerodinâmica e facilidade na pilotagem, apesar dos 200 kg. As suspensões tem qualidade e funcionam bem, algo muito importante numa motocicleta de aspirações aventureiras. Some o preço atraente, fixado em 9.499 euros (cerca de R$ 47.000), não há do que reclamar desta moto.

Dados de fábrica
Motor bicilíndrico em linha | DOHC | 8 válvulas | câmbio de 6 velocidades

Cilindrada649 cm³
Potência
máxima
73,4 cv a 9.000 rpm
Torque 
máximo
6,9 kgf.m a 6.500 rpm
Diametro x curso do pistão80 mm x 68,6 mm
Taxa de
compressão
11,5:1
QuadroTipo Diamond em aço
Cástern.d
Trailn.d
Suspensão 
dianteira
Garfo telescópico invertido de 43 mm com 210 mm de curso, totalmente ajustável
Suspensão 
traseira
Monoamortecedor a gás com curso de 200 mm, 
totalmente ajustável
Freio 
dianteiro
2 discos de 282 mm, pinça de 2 pistões (ABS)
Freio 
traseiro
Disco de 245 mm, pinça de 1 pistão (ABS)
Modelo do pneuPirelli Scorpion Rally STR
Roda 
dianteira
90/90 R 21 M/C (54V)
Roda 
traseira
150/70 R 18 M/C (70V)

MEDIDAS
Comprimento • 2.365 mm 
Largura • 915 mm
Altura do assento • 880 mm 
Entre-eixos • 1.590 mm
Tanque • 16 litros 
Peso • 187 kg

Preço: 9.499 euros

Texto: Victor Gancedo
Fotos: Yamaha

LEIA TAMBÉM: TRIUMPH TIGER 900 – https://interphonebrasil.com.br/noticias/triumph-tiger-900/

intercomunicador interphone
Intercomunicadores Bluetooth para Capacetes de Motociclistas